quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Várzea Paulista debate o futuro de sua Educação


Os debates para definir o Plano Municipal de Educação começaram no sábado (6) e se estendem nos dias 26 e 27. É um Plano articulado entre Município, Estado e União, que norteará a educação na cidade nos próximos 10 anos

PÚBLICO ATENTO AOS TEMAS

Fazer um PME (Plano Municipal de Educação) não é tarefa fácil e chamar a população para debater no processo preparatório é essencial para a construção democrática e participativa do documento. É o que o governo de Várzea Paulista, através da Secretaria de Educação, vem promovendo para elaborar seu Plano de Educação para os próximos 10 anos na cidade, conforme determina o novo Plano Nacional de Educação (PL nº 8035/2010) em seus 12 artigos e em suas 20 metas propostas.

Os debates sobre os rumos da educação em Várzea Paulista já vêm sendo explorados desde 2009 pela equipe da Secretaria e também pelo Conselho Municipal de Educação da cidade. Na manhã do sábado (6), iniciou a fase preparatória para a Conferência de Educação, por meio da promoção dos fóruns temáticos. Na EMEF João Aprillanti foi debatido o tema ‘Política Educacional e Plano Municipal de Educação’, enquanto na EMEF Edite Schneider os presentes tiveram a oportunidade de conhecer e opinar sobre ‘Financiamento da Educação e Orçamento Municipal’.

PLANO PLURAL


Nesta etapa estão sendo escolhidos representantes de todos os segmentos educacionais, pais de alunos e de instituições ligadas direta e indiretamente à educação no município, para participarem deste momento particular em Várzea Paulista e serem protagonistas na criação do instrumento que norteará a concretização das metas e diretrizes do setor. “Este é o momento de socializar as experiências e consolidar as relações entre Município, Estado e União. Este plano articulado é para regulamentar as responsabilidades e a gestão em um calendário comum entre as instituições”, disse o secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, professor Luciano Braz de Marques. O secretário da pasta de Educação, alerta ainda sobre a importância de construir um caminho sólido em todo processo de formação do Plano e que o envolvimento de todos deve ser permanente. “As previsões para o futuro do professor, do aluno e do ensino no município, só são concretas, quando os debates ultrapassam os muros da escola. Este processo participativo não termina com a aprovação do Plano na Câmara de Vereadores. Ele se estende pelos 10 anos, quando devemos cuidar para que as metas estabelecidas sejam alcançadas” conclui Luciano.


Envolvida com as discussões sobre o processo de elaboração do Plano, a educadora Dulce Pereira, primeira-dama de Várzea Paulista, destacou que a gestão democrática faz toda a diferença e há expectativa de um novo modelo de educação e de uma vida melhor para todos na cidade. Enfatizou também que este trabalho caminha na contramão do sistema neoliberal, da lógica de mercado e que Várzea Paulista está investindo na “potencialização” das pessoas. “Somos humanos e precisamos um do outro. Não compartilhamos com a lógica de que o educador é quem sabe e o educando quem aprende. Entendemos que devemos construir a educação pública de forma coletiva. Temos que, juntos, indicar a educação que queremos para os nossos filhos nos próximos 10 anos. Este é o nosso desafio para a formação do Plano de Educação”, alerta a educadora.

Se debruçar sobre a realidade de cada temática vivida na escola, propor intervenções e estabelecer metas e estratégias que insiram a educação da cidade no plano de futuro ‘Várzea 2022’, é uma responsabilidade de todos os envolvidos. Na primeira etapa de mini-fóruns, os participantes, além de conheceram e debaterem as políticas educacionais e o funcionamento de todo o processo do Plano, puderam conhecer os horizontes de financiamento da educação e adquirir conhecimento para avaliar, por exemplo, o valor ideal de investimento por aluno na cidade.

PAIS E EDUCADORES JUNTOS


Eliana Marta Barbosa de Almeida, mãe de aluno da EMEI Jovino Cosme Ubaldo, no Jardim Diana, participava da APM e agora continua atuante como membro do Conselho de Escola. Para ela é muito importante a oportunidade de participação que a prefeitura dá para a comunidade e este debate para o futuro da educação é essencial. “A prefeitura de Várzea Paulista nos proporciona espaço e procuro aproveitá-lo. Vejo que é essencial estar presente neste momento de debate para discutir o futuro da educação na cidade, porque estamos definindo a educação que queremos para os nossos filhos”, avalia.


Para a diretora da EMEI Jovino Cosme Ubaldo, Alvina do Carmo Silva Souza, a integração entre todos os segmentos educacionais da cidade e a população, para definir um documento tão importante como o PME, faz com que todos se sintam responsáveis pelo futuro da educação no município. “É gratificante poder participar deste processo e ver que há vontade, empenho e disposição das pessoas em se tornarem co-responsáveis deste Plano de Educação”, elogia.

OS DEBATES CONTINUAM

A troca de informações nos debates continua na segunda fase dos mini-fóruns. Com exceção do encontro na EMEF João Aprillanti, que será no próximo dia 26 (sexta) às 19hs, os outros acontecem no dia 27 (sábado) em seis locais diferentes, que envolverão escolas de todas as regiões da cidade. Todos os encontros serão realizados entre 8 e 12 horas.

Região 1 - Promeca: EMEFEI Manoel Caetano de Almeida, Rua Vitória Régia, 121, Residencial Alexandria, telefone 4606.4798;

Região 2 - Centro 1: EMEF João Aprillanti (DIA 26 ÀS 19HS), Rua Valentina de Castro, 397, Vila Santa Terezinha, telefone 4596.4429;

Região 3 - Popular: EMEFP Palmyra D’Almeida Rinaldo, Rua Itaipu, 150, Parque Guarani, telefone 4606.5550;

Região 4 - Norte 1: EMEF Juvelita Pereira da Silva, Rua Montes Claros, 50, Vila Real, telefone 4596.1801;

Região 5 - Norte 2: EMEF Anísio Teixeira, Rua Itapevi, 236, Jardim América II, telefone 4595.8357;

Região 6 - Centro 2: EMEF Edite Schneider, Rua Embu, 355, Alto do Pinheirinho, telefone 4606.5551.

PRÉ-CONFERÊNCIA

Ao final destas fases serão escolhidos três representantes (delegados) que junto com o Grupo de Trabalho do PME, formarão a Comissão Ampliada de Redação e definirão o pré-documento para ser apreciado na Pré-Conferência, a ser realizada em 1º de outubro no UniAnchieta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário